Poema

Qualquer Coisa

Qualquer coisa é um nada
Que devagar
Lentamente
De nós vai se apoderando
Operando
Abrindo, fechando
Se fazendo
Se tornando ser
Crescente
A nos envolver
Docemente
Semente
Eternamente.

Muito honrada fiquei ao ser escolhida para compor a Revista Eletrônica Suplemento Literário A ILHA, numero 146, página 31.
Ler a Revista aqui