Poema

O Poder

Cai o pano, cai a farsa
Cai a mentira, a injúria
Saindo agora o de cima
Ficamos nesta penúria.

Quem quererá o poder?     

O rico tem pouco tempo
O pobre nem tempo tem
O culto não perde tempo
E o santo só diz Amém.

O homem aí não se mete
A mulher nem dá palpite
O jovem só na internet
O idoso nada transmite.

Quem quererá o poder?

O trabalhador é cansado
O preguiçoso também
O filósofo só quer pensar
E o cristão sai para rezar.

Quem quererá o poder?

O branco é muito nobre
O preto é muito pobre
O estrangeiro não pode
O mulato, indiferente.

Quem quererá o poder?

Discurso de botequim,
Inflamado de razão
Com o dono Seu Joaquim
Na presença de Seu João
Só pra o vento saber
Quem é digno do poder.

A professora explica
E o Doutor até justifica
O Juiz a sentença aplica
E o Gari, sem entender
Quem caminha pro poder.

Os homens de BEM dizem Não
As mulheres de PAZ dizem Não
Os cultos dizem Não
Os pacíficos dizem Não

Mas quem ficará no poder?

Se ninguém mais quer o poder
Com quem ficará o poder?
Pra poder mudar o poder
Qu’enfrentará o poder?

Fica comigo, contigo
Com o senhor talvez?
Ao menos uma vez
E não precisa outra vez.
Aceitaria o poder?

O poder pode e engrandece
O bolso e o orgulho
De quem pode e quem não pode
Por amizade, por troca
Por uma simples fofoca
É o caminho do poder
Aceitaria poder?

Eu não quero, não Senhor
Eu sou um homem de bem
Digno e muito honrado
E muito bem-humorado

Por isto

Mais seguro é Só falar
Porque indo para “Lá” …
O Poder pode me testar
E a minha honra eu Vender
Igualando-me no poder
E a minha hipocrisia eu perder...

Então, ...
Que fique ...
Quem já está no poder!


Fpolis(SC) 17/01/2006

Poema

Quisera

Quem eleito pelos anjos foi
Deste sorriso, o dono
Desta mulher, escravo?

Alguém muito especial por certo
Que das sombras se fazia
Que do infinito amor se revelava

Quisera qu’eu também sorrisse
Para um amor que de longe vinha
Para um sonho que se realizasse.

02.11.2018