Prosa

Os Sinos Dobram

Mistério


Na sala de parto um último grito, um silêncio, um choro.
Na penumbra do corredor, um homem de branco mostra, a outro homem, uma criancinha ainda envolta em panos brancos manchados de sangue.
Ao longe, na igrejinha da praça, os sinos dobram.
São exatas seis horas da tarde: a hora da Ave-Maria.

Outros Autores · Prosa

Fernando Pessoa – Livro do Desassossego – 68

” O cansaço de todas as ilusões e de tudo que há nas ilusões – a perda delas, a inutilidade de as ter, o antecansaço de ter que as ter para perdê-las, a mágoa de as ter tido, a vergonha intelectual de as ter tido sabendo que teriam tal fim.

A consciência da inconsciência da vida é o mais antigo imposto à inteligência. Há inteligências inconscientes – brilhos do espírito, correntes do entendimento, mistérios e filosofias – que têm o mesmo automatismo que os reflexos corpóreos, que a gestão que o fígado e os rins fazem de suas secreções. “

Frederico e Rafaela em Cacupé – Florianópolis, em 07/maio/2021

Do livro acima citado, pagina 98, editora CompanhiaDeBolso