Poema

Alma Infante

Delira alma sonhadora!
Já não é sem tempo
Deves descobrir teu sonho
E, quiça, vê-lo morrer
No delírio da histeria tua.

Delira!
Que em ti
Tudo é fugaz!

Mas toma cuidado!
Talvez,
Por tão antigo,
Enraizado
Em tua carne
Esteja.

Delira alma infante!
Já não é sem tempo
Cumprires tua sina.