Poema

Passo

A balconista da livraria
Embrulha o livro
Que acabei de comprar…

Sinto-o estremecer
Olhar de forma clemente
Para que, livre
Das embalagens
Dos rótulos
Eu o leve
Nos meus braços
Do meu lado esquerdo.

Assim nosso amor transborda:
Eu e ele saímos
Como par de namorados.

Todos nos olham
Ninguém entende
O meu leve sorriso
O brilho das estrelas
No meu olhar.

Todos me olham:
Eu passo.

 

Editado à pagina 34, no Suplemento Literário A ILHA nº 141A ano 37 de agosto/2017 – Ler