Prosa

Tributo a Júlio de Queiroz

Veja seu olhar! Diz tudo não? Não, não diz tudo porque havia mais muito mais no seu sorriso no seu coração no seu pensar.
Meu estar com ele foi temporal de verão: rápido e forte.
Pelo seu porte físico sempre me lembrou com carinho de Mário Quintana.
Agora tenho dois passarinhos na gaiola aberta de meu coração: um Alegre, outro Alegrete.

Vida é amor represado
Morte, amor trans-bordado

Perdemos o que viria a ser
Guardemos o que foi para que sejamos dignos.

Meu profundo sentimento de dor egoísta.

Recitado na Academia Catarinense de Letras – ACL na Sessão de Saudade do Acadêmico Julio de Queiroz, grande poeta brasileiro, por ocasião do primeiro ano do seu passamento – Ler Mais