Prosa · Reflexões

A Nuvem

Vê aquela pequena nuvem que, acima das árvores, acima das montanhas, passa lentamente? 

Vê como ela, passando, aos poucos vai tomando outras formas?

Fotógrafa – Rita Marília

Vê como ela vai ficando airada e mesmo quase imperceptível ainda é ela para nossos olhos?

E vê agora como ela vai desaparecendo?

Ela, empurrada pela brisa leve da manhã, acima das verdes árvores, contra um céu azul profundo, vai perdendo aquela forma, adquirindo outra, mais rarefeita, mais translúcida, mais  sensível, até não mais ser distinguida no céu.

Para onde ela foi? Onde ela está?

Ela se amalgamou no espaço. 

Suas pequeníssimas partículas estão plenas, suas moléculas estão resguardadas contendo sua essência divina  e poderão se unir novamente, a qualquer momento, desde que obedeçam a Lei da natureza que é a Lei do Eterno, a Lei do UNO, a Lei que ainda não temos conhecimento para a completa compreensão e contemplação. 

Aceitar com humildade a escada da compreensão que precisamos subir, degrau por degrau, imprimindo esforço e equilíbrio, sem pressa e sem pausa, abre as portas para a sabedoria profunda.

“ Eu sou como uma flauta de bambu.

Nada vem de mim, mas através de mim “.

Prosa · Reflexões

A Natureza das Coisas

É manhã… é cedo … é frio. 

O frio agasalha a casa onde dentro me acolho.

Lá fora, as árvores estáticas, os pássaros e as pedras não se conscientizam do frio.

Dentro, passo café, derramo na xícara e seguro-a com carinho, contornando seu corpo com meus dedos gelados. 

Ela possui algo que eu preciso e, em generosa troca, entrega-me, em abundância, todo seu calor: eu a esfrio esquentando minhas mãos.

Levo-a aos lábios e essa minha ação tira-a da inércia para, de acordo com sua natureza, doar seu calor e conteúdo sem nenhuma consciência, apenas seguindo as leis naturais.

Sinto-me aquecida e alimentada: ela está vazia e fria, … e o tempo passa.

Sobre a pia, com sobriedade, a garrafa térmica espera, guardando seu conteúdo com desvelo, mantendo o café quente em seu interior. 

Seguro-a nas mãos porém com a garrafa térmica não há trocas externas: seu exterior é frio; ela não é própria para contatos.

Sua missão é guardar a mensagem aquecida.

Sua natureza é doação sem troca