Prosa

Os Sinos Dobram

Mistério


Na sala de parto um último grito, um silêncio, um choro.
Na penumbra do corredor, um homem de branco mostra, a outro homem, uma criancinha ainda envolta em panos brancos manchados de sangue.
Ao longe, na igrejinha da praça, os sinos dobram.
São exatas seis horas da tarde: a hora da Ave-Maria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s