Prosa · Reflexões

A Nuvem

Vê aquela pequena nuvem que, acima das árvores, acima das montanhas, passa lentamente? 

Vê como ela, passando, aos poucos vai tomando outras formas?

Fotógrafa – Rita Marília

Vê como ela vai ficando airada e mesmo quase imperceptível ainda é ela para nossos olhos?

E vê agora como ela vai desaparecendo?

Ela, empurrada pela brisa leve da manhã, acima das verdes árvores, contra um céu azul profundo, vai perdendo aquela forma, adquirindo outra, mais rarefeita, mais translúcida, mais  sensível, até não mais ser distinguida no céu.

Para onde ela foi? Onde ela está?

Ela se amalgamou no espaço. 

Suas pequeníssimas partículas estão plenas, suas moléculas estão resguardadas contendo sua essência divina  e poderão se unir novamente, a qualquer momento, desde que obedeçam a Lei da natureza que é a Lei do Eterno, a Lei do UNO, a Lei que ainda não temos conhecimento para a completa compreensão e contemplação. 

Aceitar com humildade a escada da compreensão que precisamos subir, degrau por degrau, imprimindo esforço e equilíbrio, sem pressa e sem pausa, abre as portas para a sabedoria profunda.

“ Eu sou como uma flauta de bambu.

Nada vem de mim, mas através de mim “.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s