Poema

Qualquer Coisa

Qualquer coisa é um nada
Que devagar
Lentamente
De nós vai se apoderando
Operando
Abrindo, fechando
Se fazendo
Se tornando ser
Crescente
A nos envolver
Docemente
Semente
Eternamente.

Muito honrada fiquei ao ser escolhida para compor a Revista Eletrônica Suplemento Literário A ILHA, numero 146, página 31.
Ler a Revista aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s